Sentimentalismo…

Eu sei… sempre que eu vou a uma debconf eu fico sentimental. Não sem razão, eu asseguro: fazer parte do Projeto Debian é algo de que eu sempre me orgulhei, e algo que sempre me emocionou, desde os idos de 1999, quando eu conheci o projeto e quase não acreditei que algo desse tipo pudesse de fato existir.

Manoj em discussão sobre a Debian Policy

Estar em uma debconf me faz sentir como se eu estivesse em família. São muitas pessoas, com muito conhecimento técnico, em geral um ótimo senso de humor e muito pouco preconceito. A diversidade é enorme, tanto nos gostos, quanto nas habilidades, as aparências. É como estar em um espaço livre, sem imposições nem discriminação.

Sun forneceu drinks

Quarta-feira e ontem foram dias especialmente divertidos: a “day trip” envolveu um longo passeio de trem, seguido por um passeio de ferry e acabou em uma ilha, com um castelo muito interessante. Eu passei pelo menos uma hora e meia em um pub (de verdade!) com um grupo de russos discutindo desde as vantagens de lançar código interno de empresas como software livre até capitalismo vs comunismo (um papo, eu diria, especialmente interessante para se ter com russos!).

dancing

Ontem, por sua vez, foi dia de comer e beber de graça (graças a Google, que forneceu pizzas e à Sun, que forneceu drinks – porque pra escolher Java só bêbado mesmo), e dançar músicas típicas da Escócias no Debian ceilidh. Não sem antes ter assistido a palestras muito interessantes, como a que falou do uso de Debian no Sanger, que tem clusters enormes com Debian envolvidos na pesquisa dos genomas humanos e de outros animais.

2 Replies to “Sentimentalismo…”

  1. “porque pra escolher Java só bêbado mesmo” ^^

    Essa facul é foda, fico pensando em mudar de curso, procurar outra facul mas no final das contas nem uma presta msm. Esquema é aguentar até tirar o diploma. Pelo menos pra quem precisa de um =P

Leave a Reply

Your email address will not be published. Required fields are marked *